Artigos. O esporte e as crianças com necessidades especiais
Todos sabem que o esporte é uma das atividades mais importantes para uma criança com necessidades especiais, mas será que já nos perguntamos por quê?

Detalhamos neste artigo algumas das razões e oferecemos sugestões para que você possa escolher a atividade ideal para seu filho.

O que é esporte adaptado?
É a atividade física que se ajusta à redução da capacidade de uma pessoa em relação ao nível considerado "normal". Qualquer criança com uma deficiência motora, sensorial ou intelectual pode praticar esportes, desde que a prática seja adequada ao grau da patologia e esteja de acordo com seu gosto e qualidades pessoais.

Para isso, os pais devem confiar em sua observação e sensibilidade, já que ninguém conhece e compreende melhor as necessidades de seus filhos.

Uma vez tomada a decisão, é importante consultar o pediatra para verificar se a atividade oferece algum risco à saúde da criança.

É importante lembrar que as decisões não ocorrem da noite para o dia, mas se constroem ao longo do tempo. Portanto, não há problema algum em errar e escolher outra opção, se seu filho não se sente à vontade com a atividade escolhida.

Benefícios
O esporte adaptado estimula o desenvolvimento pessoal e social da criança. Na vida cotidiana, ela está acostumada a transitar em uma sociedade construída sobre parâmetros "normais". No entanto, muitas vezes tais parâmetros são as barreiras que ela precisa transpor diariamente. O esporte a ajuda a abstrair, por alguns momentos, dos inconvenientes que essas barreiras acarretam.

O esporte também fortalece a afetividade, na medida em que a criança pratica com outros colegas e é observado pelo público; a emotividade, já que tem a chance de descarregar tensões e expressar emoções; e o autocontrole, já que se vê obrigada a seguir um regulamento e certas normas de disciplina.

O esporte também favorece a habilidade perceptivo-motora, a coordenação, estimula o crescimento harmonioso e previne deformidades e vícios posturais.

Acima de tudo, a atividade nos ajuda a entender que todas as pessoas podem praticar esportes e beneficiar a coletividade . É o princípio da inserção social e o primeiro passo para a integração.

Equinoterapia
É um método terapêutico que utiliza o cavalo, as técnicas de equitação e as práticas equestres na reabilitação, integração e desenvolvimento físico, psíquico e social de pessoas com necessidades especiais.

É indicada em condições bastante variadas, como autismo, perturbações emocionais, paralisia cerebral, esclerose múltipla, retardo mental, deficiência visual, auditiva ou da linguagem, síndrome de Down, amputações ou insuficiência cardíaca.

Seus benefícios estão associados ao fato de ser uma atividade ao ar livre, em contato com a natureza e com um ser vivo distinto do ser humano, que possibilita o relacionamento com outras crianças. A frequência semanal oferece a possibilidade de construir uma rotina recreativa e de trabalho.

Natação
É um dos esportes adaptados mais procurados. Baseia-se em atividades educativas que realizam um trabalho de prevenção e reabilitação, aproveitando as propriedades físico-químicas do meio aquático para amortecer o impacto dos movimentos do corpo.

A natação terapêutica é uma atividade física aeróbica que promove o fortalecimento muscular, a manutenção da função articular, a coordenação dos movimentos, a reeducação respiratória e a postura corporal. Ajuda a criança a relaxar, a liberar tensões, a sentir-se segura e atingir metas em pouco tempo. Em outras palavras, desperta suas possibilidades, em vez de destacar suas limitações, fortalecendo a autoestima e a autonomia.

Esportes coletivos
Esportes como o futebol, o basquete, o hóquei e o rúgbi são indicados, desde que a condição da criança permita e exista uma escola especializada para praticá-los. Além de fortalecer as habilidades físicas e a motricidade, o esporte estimula o contato com outras crianças. Jogar com seus colegas permite a descentralização e a consciência sobre o outro, construindo a noção de grupo.

De forma geral, as crianças com necessidades especiais correm o risco de se tornar excessivamente egocêntricas. Todo o ambiente familiar e educativo gira ao seu redor. Ajudar seu filho a descobrir sua função e responsabilidades dentro de uma equipe é ensinar que ele também pode dar, e não só receber. Talvez este seja um dos maiores desafios que temos como pais, se quisermos orientar nosso filhos na direção de uma vida plena.
Artigos relacionados
Quem leu isto também leu...